Um perfume floral by Issey Miyake

Tô tão jasminzêra, povo! Cêis nem imaginam! E o jasmim da vez atende pelo imenso nome A Scent by Issey Miyake Eau de Parfum Florale (Issey Miyake). Pra efeito facilitador da vida desta que vos escreve, chamá-lo-emos de A Scent Florale, beleza?

Singelíssimo and confortabilíssimo, A Scent Florale abre com jasmim, segue com jacinto, ylang ylang, gálbano, rosa e peônia, e fecha com patchouli, âmbar e musgo.

A saída é aquela rajada de jasmim característico, amado ou odiado, impossível de não ser notado (adoro rimar, me deixa!). É a flor e ponto. Mas, óh, nada ão, viu? Jasmim desmaiado dentro d´água, diria eu cá comigo. Mesmo assim, quem não curte a florzinha deve passar longe. Minutos depois, dá pra sentir o caule das flores, que vão surgindo abstratas, trabalhadas na delicadeza. E então temos ele, o grande, o sublime, o indefectível cheiro-de-banho (assim mesmo, com hífen). A Scent Florale é a epítome do banho tomado. 

Fresquinho e levinho (até demais, dirão alguns), ele tem cheiro de primavera florida (ou xixi de gato, caso você seja da turma que odeia jasmim e tem criatividade de sobra). Conheci o belo aí num dia de enxaqueca (sou bandida, eu sei, me deixa!) e, putz, gamei. A dor até passou. Amor, gente, amor.

A verdade é que perfumes arigatôs me agradam sobremaneira. Adoro quando os japoneses botam as mãos na perfumaria. Grande parte das vezes os cheiros ficam belos, intimistas e contemplativos. Sou fã. E sei que sou rara. Maioria do mundo não segue a mesma vibe. Maioria acha tudo isso bem água de chuchu. Acontece que eu curto uma aguazinha vegetal às vezes. O que pra muita gente é uma chatice, pra mim é ouro!

Não tem dia em que a gente só quer um gole de paz? Taí! Eu não sei como, mas esse perfume me toca de alguma forma. 

Então fica combinado: se o seu negócio é perfume aumentativo, esquece o A Scent Florale, ok?

A quem interessar possa: A Scent Florale é um flanker já descontinuado do A Scent by Issey Miyake (que eu não conheço, por sinal).

Comentários

  1. Mas Vanessa.....curar enxaqueca com jasmim? Comigo é como pôr álcool na fogueira, apesar de adorar o cheiro (alguns jasmins em perfumes têm cheiro de xixi de gato mesmo, hehe). Lembrei de já ter feito algumas doideiras, como usar o Spring da Mahogany (uma bomba de Narciso) num dia de enxaqueca......já imaginou o resultado, né....Mas japonês é bom pra fazer perfume sim, concordo muito contigo. Amo algumas jóias da Kenzo, Issey e sou louco para provar (e ter) alguns Comme des garçons. Mas "perfume aguadinho" não é comigo.....ainda estou na fase dos intensos, seja com frio ou com calor, hehe...abs!

    ResponderExcluir
  2. Van do céu! Esse foi um dos poucos perfumes que me fizeram ter vontade de entrar no banho depois de usar... :P
    Não sei o que foi que aconteceu, mas não bateu comigo de jeito nenhum...

    ResponderExcluir
  3. Oii Vanessa! Acompanho seu blog há algum tempo e aproveitando o gancho "floral" vim aqui tirar uma dúvida..

    Recentemente adquiri um Ivoire - Balmain, estava em busca de um cheiro limpo, de banho, conforto.
    Na minha pele fica um fundo ardidinho, que nota causa isso? Bom, é um perfume de classe né? Mas gostaria de identificar a tal nota porque não caí de amores por ela.. Foi uma compra cega.

    Caso saiba de alguém que tenha interesse, acho que vou desapegar.. Formiga que sou, parece que falta uma colher de açúcar ali..

    Só foi testado.. 100ml na caixa.

    Obrigada! Beijo

    Marina.
    marina2192@gmail.com

    ResponderExcluir
  4. O "A Scent" é um perfumão, nada aguado. A melhor imagem que encontro para descrevê-lo é você entrando numa cozinha ao amanhecer, esta cozinha foi lavada na noite anterior com detergente de aroma cítrico, mas o que mais chega ao nariz são os aromas da janela aberta, flores, ervas aromáticas e terra ao longe e ainda um levíssimo aroma a cigarro. Lindo, com classe, fresco, confortável, mas com personalidade e classe. Maravilhoso tanto para mulheres como para homens. Sandra

    ResponderExcluir
  5. Ubiratan, pra você ver: a minha cura foi tão inusitada que mereceu menção neste post. rs De fato, jasmim é poder. E sabe-se lá por que esse aí me fez bem. Tudo bem que eu adoro um jasmim, mas né. rs Ok, esse é meio aguado, talvez seja isso. E, putz, Comme des Garçons é bacaníssimo! Conheço dois da marca e amo. Até falei de um deles aqui, o sublime Avignon. Falta tagarelar sobre o Kyoto.

    Mulher sem Photoshop, eu me lembro dessa sua resenha. Assim que eu ganhei amostra desse perfume me veio seu texto na cabeça, acredita? Provei e pensei cá comigo: não pode ser o mesmo perfume! rs E não é que eu curti a fragrância? Acontece! rs

    Oi, Marina! Eu apostaria no patchouli, viu? Eu costumo ter problemas com essa nota também, mas no Ivoire ela não me incomoda. Aliás, em mim o Ivoire é bem assim: cheiro limpo, de banho, de conforto. Mas cada pele uma sentença. E isso me lembra que eu preciso escrever sobre o Ivoire. rs

    Sandra, você tá falando do A Scent verdinho ou desse do post? O verde eu não conheço. Se for do Florale, bom, em todo caso, cada pele é um mundo, né? Eu adoro como uma mesma composição se mostra tão diferente em cada pessoa. Vejo uma poesia linda nisso tudo.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bora comentar aqui embaixo? Se joga!
Com classe, por favor!