Do Nilo

Bora trocar um dedinho de prosa rapidex sobre o Un Jardin sur le Nil (Hermès)? Antes, deixa eu perguntar uma coisa: mais alguém por aí lê o nome desse perfume e também se recorda do bom moço Nill (opa, com dois éles) do Dominó-manequim-teu-sorriso-é-um-colar-de-marfim? Mas, óh, eu não gostava deles não, viu? Preferia o Polegar-sou-como-sou-aonde-vou-eu-acho-a-minha-saída. Ok, parei!

Voltando ao perfume que promete nos levar a um jardim às margens do rio Nilo, temos cenoura, toranja, tomate e manga verde na saída, laranja, peônia, tifa, jacinto e lótus no coração, e láudano, íris, canela, almíscar e incenso na base.

Criado pelo super supremo Jean-Claude Ellena, o bonito aí tem manga verde ao cubo, mas que não chega a assustar cachorrinho de madame não. Eu que o diga! Tenho medo de manga (sou mangofóbica, me deixa!) e nem por isso saio latindo quando passo esse perfume.

Cá entre nós, Un Jardin sur le Nil é uma calminha e suave horta pós-rega. Opa, jardim ou horta, Jean-Claude? Ah, não importa! Interessa que esse perfume também tem um pé na quitanda - no meu caso, no quintal (entenda minha mangofobia aqui). Enfim, o cheiro é de fruta verde com brisa leguminosa e toque aquático de lótus. Há um pouco de citricidade e um pozinho mágico de incenso. Tudo bem discreto, natural, ensolarado e low profile. 

Gostoso como todo bom perfume, mas não me catou de jeito. Poemas de amor e musiquinhas do naipe de Manequim eu faço mesmo é pro Un Jardin en Méditerranée (suspiros sobre ele aqui).

Comentários

  1. Sabe que às vezes eu fico querendo divagar nos meus posts assim também e fico achando que ninguém vai entender? :D
    Só pra continuar o assunto, eu me lembro sim, mas vamos combinar que essa galera tá muito melhor agora, hein? Eu vi esses dias que o Afonso é casado com a chefa da revista Glamour, virou produtor musical e tá um coroa bonitão, e ele era tipo o Patrick Dempsey tanto antes quanto depois. Rá! Viajei com vc agora, hein?

    Mas escuta...agora quanto ao perfume, eu sou do tipo que pode gostar desse perfume, mas tenho tanto Hermés na minha lista que nem sei se cabe mais um!!!
    Beijo,

    Lu

    ResponderExcluir
  2. Lu, ninguém precisa entender não. O lance é exorcizar! É assim aqui. hahahaha
    E, putz, viajei com o Afonso Dempsey agora. hahahahaha
    No mais, acho que você curtiria sim o Nil com um éle só. rs Mas tem coisa melhor na roda, viu?

    ResponderExcluir
  3. Vou te seguindo. Manequim, e nem dá bola pra mim.
    Não curtia essas boy-bands tupiniquins Viva a Noite, mas claro, lembro.
    Não conheci ainda tal perfume com que vem da horta direto pro Extra e coloca um pezinho no jardim, mas deve ser curioso!

    ResponderExcluir
  4. Lu, ainda não, lindona. Mas em breve a resenha dele vai pro ar.

    Diana, ele é bem feitinho sim, mas é bobinho pra gente como a gente. rs

    ResponderExcluir
  5. Rá!!! Polêmica! as pessoas amam esse perfume. eu vou falar bem baixinho, mas bem baixinho, que as vezes cansa um tico esse estilo transparente dele.

    ResponderExcluir
  6. Eu tenho essas águas do Nilo aí, muito me refrescarem em escaldantes verões.. ela é tipo mutante, sutil, misteriosa, de lua..
    Não é pra todos os dias e nem pra todas as peles!

    ResponderExcluir
  7. Olha que esse Jardin aí de Nilo não tem nada. Achei que JCE deu uma viajada na maionese nesse aspecto ( ou não, nunca fui ao Nilo kkkk) porque achei nada a ver quando li sobre, mas...
    Pra mim ele tem cheiro de água de mar. Sim, é um perfume salgado ( boto fé que tem sal grosso aí), razão pela qual lembrou-me demais a colônia de rosas da La Façon! Tem o mesmo cheirinho, guardadas as devidas proporções de qualidade, pois, estamos diante de um Hermès.
    Enfim, nunca vi nada demais no bichinho...e tô contigo, Mediterrané sempre! E Toit idem, viu?
    Bjus

    ResponderExcluir
  8. Duda, falou tudo!

    Lily, jura que você sente sal? Vou cafungar de novo atrás do sal agora. Fiquei curiosa. Toit tá aqui prontinho pra virar resenha!

    ResponderExcluir
  9. Van, adoro suas resenhas!
    Quanto ao perfume, provavelmente não vou gostar... Cheiro de manga me enjoa.. Graças ao cheiro de manga doce do Island kiss da Escada, passo longe de cheirinhos dessa fruta...
    Já falou sobre o Tresor da Lancome? É um perfume polemico, seria ótimo ler uma resenha sua..

    Bjnhsss

    ResponderExcluir
  10. Roselene, obrigada pelo carinho! E, olha, ele é bem mangudo mesmo, mas não assusta ninguém. rs Em todo caso, não te aconselho a catar no escuro. Sobre o Trésor, preciso dar aquela cafungada investigativa pra resenhar (o cheiro que ficou dele na minha memória é insuficiente pra desenrolar rs). Assim que acontecer, boto na roda!

    ResponderExcluir
  11. Já comentei com o Dênis no seu blog que não sinto manga nesse Hermès (fruta que adoro em perfume e a esperava aqui como no Reb'l fleur, que apesar de não constar na sua pirâmide, bato meu pé: tem manga lá! rs..). Meu nariz tosco e ignorante só percebe aqui uma mistura aquática - e aguada - de casca de laranja amarga (o grapefruit?), com nuances quase invisíveis de folha de tomate e no final, que chega rápido e desaparece também rápido (pô, Ellena!) um almiscar beeem mansinho (incenso, oi?). Que glória existir decants para não arriscarmos nossos cartões de crédito! Abs.

    ResponderExcluir
  12. Ubiratan, graças a você lembrei que tenho uma amostra do Reb'l Fleur que ainda não cafunguei. Curiosei. Lá vou eu! E o Nilo do Ellena é bobinho mesmo. Também fui salva por uma amostra.

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bora comentar aqui embaixo? Se joga!
Com classe, por favor!