Nu


Há algum tempinho, rolou um festivo oba-oba virtual em torno do relançamento do Nu (YSL), que agora ressurge em nova versão - mais domesticada, segundo reza a lenda (não conheci a original). O badalado (re)apareceu sob a alcunha Nu La Collection e com preço convidativo em alguns sites tupiniquins. E lá se foi uma legião com a carteira em punho. Mas nem todo mundo estava preparado para o que ia encontrar. Eu, atrasada que só, acabei perdendo o oba-oba. E me arrependo disso. Paguei mais caro, mas tô feliz. Nu é vida! 

Intrigante and instigante esse beginho é algo mais, é perfumaria comercial de grande qualidade, é perfume com pê maiúsculo. 

Na real, Nu tem o tamanho daquilo que você entende por sensualidade. Ele tem cheiro de pele. Pele arrepiada. Pele com alma. Ele é nude, é névoa, é fascinante. É libidinagem chique, peladismo-de-muito-bom-gosto. Nu é o ato de despir camisa branca de seda pura.

Ele parece nos dizer que roupa é aresta, é dispensável, que o temos de mais nosso é a pele. Ele é uma ode à pele, ao que somos, ao que cheiramos utopicamente (sim, porque se eu encontrasse alguém que exalasse Nu naturalmente pelos poros, bom, eu mandava ladrilhar com pedrinhas de brilhantes. rá!).

Atemporal e compartilhável, Nu é humano, demasiadamente humano. É um dos perfumes mais belos e poéticos que já senti. Assim que o conheci, me lembrei das mulheres imortalizadas pelas lentes do David Hamilton.

Em resumo (porque eu já falei demais), Nu, este oriental pimpão, tem cardamomo e bergamota na saída, incenso e orquídea no coração, e olíbano na base.

Oficialmente, a nova versão não tem jasmim e sândalo, duas notas que eu juro que sinto aí. Aliás, tenho pra mim que o jasmim aparece logo de cara, todo espetaculoso, explícito, deliciosamente sujinho, safado, com dedinho na boca e tudo. Muita gente torce o nariz pra essa saída (ela não é fácil mesmo), mas eu gostei (apesar de preferir na minha pele o modo como esse perfume se aquieta depois de algumas horinhas).

A bergamota também me dá um belo olá, e traz um toque de frescor à safadeza que, em pouco tempo, adquire uma nuança cítrica, que se mescla com o incenso. E que incenso! Esquece aquele incenso exotérico. Pensa num incenso chique! Um enfumaçado lindo, macio, confortável, quase talco. Aqui temos um toque de divindade, povo! Sim, é muita coisa acontecendo! Güenta firme! 

Pois bem, junto com o incenso cítrico (oi?), me aparece a orquídea, cremosa, macia, levemente doce. Ah, e o cardamomo tá sempre na roda, viu? Ele liga a coisa toda na tomada e vai que vai temperando a vida. 

Também noto claramente uma notinha mais pontuda, algo meio pinho, meio canforado, inteiramente indecifrável. E justamente por causa desse aspecto mais florestal ouvi de muita gente que Nu parece perfume masculino. Resina e madeira também surgem, mas em menor potência.

Na real, Nu me é incenso quase talco com toque cítrico e florestal with especiarias. Ah, me deixa! 

E agora um conselho grátis (portanto ruim, porque se fosse bom não vinha de graça): você estranhou o Nu, colega? Leve o tempo que levar, mas se esforce pra entendê-lo, viu? O crime compensa.

Comentários

  1. Tô passada and a ponto de me giletar porque não o comprei na época que estava "dado" aqui na Terra Brasilis.
    Van, adooooro tuas resenhas, tu falas como se conversasse tete-a-tete conosco, observando o por do sol com uma cerveja gelada. A tua irreverência é deliciosa! Parabéns! Acho que tenho uma amostra dele entre as muitas que aqui residem. Vou provar e depois retorno! Beijuu

    ResponderExcluir
  2. OMG,,,eu realmente tenho a amostra.... pelamor, o que é esse perfume!!!!!!!!!

    ResponderExcluir
  3. Que resenha linda, Van! Poética! E com os toques de seu bom humor classudo de sempre! NU de fato é sensual, é ritualístico, é orgânico! Tenho um pouco do antigo que gentilmente me foi ofertado pelo Dino Napoleão. Tem diferenças? Tem sim! Mas o 'novo' não fica devendo não... Bjos!

    ResponderExcluir
  4. Fiquei curiosa, mesmo sabendo que não vou gostar. kkk

    ResponderExcluir
  5. Algumas coisas que vc disse me deixaram na dúvida sobre o que pensar...porque dependendo do talco eu tenho medo! E realmente, vi esse perfume baratinho na Lafayette!!

    ResponderExcluir
  6. EEEEE! perfume lindo demais, dos incensos mais legais -- e o que é o sândalo cremoso no fim? me abraça que eu to NU. to felizão que as noites esfriaram e consigo usar pra dormir. vou caçar esse pinho aí que vc fala, que eu não reparei. linda resenha!

    ResponderExcluir
  7. Enlouquecida q eu stow por este belo aí, sua Van bruxinha de sedutoras descriçoes..Omg, incenso, CARDAMOMO maravilindo do meu <3, sândalo feiticeiro abridor de portais..NU, nunca te vi, sempre te amei, vem a mim, vem ni min!!!

    ResponderExcluir
  8. Carla, ai, que delícia! Obrigada! E viu, eu não disse que esse perfume era mara?

    Diana, adorei o "humor classudo". Rá!
    Eu juro que não sinto falta do Nu véio (mesmo sem conhecê-lo). Esse novo já me deixa tão pimpona!

    Helen, se pá, você se surpreende positivamente, hein?

    Lu, ele não é suuuuper talco. Mas não é do tipo perfume comunzinho, sabe? É diferentão. Vale uma cafungada.

    Dênis, eu fiz dancinha da alegria quando a temperatura caiu aqui. Fui de peladão dias seguidos. Tudo de bom nessa vida ele, né?

    Duda, ele é tão bom, mas tão bom. Virou um dos meus preferidos.

    ResponderExcluir
  9. Poxa se eu achasse ele para cafungar....fiquei atiçada no cheiro que tu descreveu. Ele me pareceu como o Prada Tendre (difícil de agradar), pois tem Limão, Bergamota Italiana, Neroli, Cardamono Guatemala, Jasmim Indiano, Vetiver Haiti, Patchouli da Indonésia, Sândalo Indiano, Benjoim e Cedro da Virgínia (ele é lindo!)....mas tô chorando que só tenho um miséria dele, rsrs. Acho que tu ia gostar de conhecê-lo e eu de conhecer o NU.

    Um beijo
    Malú

    ResponderExcluir
  10. Malú, ele é muito gostoso, viu? Mas não agrada todo mundo, fato. Fiquei curiosa com o Prada Tendre. Não consigo nunca achar pra cafungar esse bonito.

    ResponderExcluir
  11. Que interessante link você criou ao fazer referência do Nu com as ninfetas de David Hamilton, sempre ficava intrigado nas fotografias dele, como ele conseguia criar uma aura mágica, misteriosa em cada foto. Sou orfão do Nu o original mas pra minha sorte consegui 2 eau de parfum da versão original e depois consegui esse novo Nu La Collection, o vintage é insuperável, possui uma pirâmide maior de notas, fixa e projeta muito, evolução complexa, um dos incensos mais sensuais senão o mais sensual de todos que já vi na perfumaria, aquela conotação religiosa, espiritual vai embora e entra o carnal, o erótico e profano.A nova versão mudam-se algumas notas mas o resultado final é idêntico sim, é como se o perfume fosse logo pro drydown e perdura assim até o final, enfim foi um ótimo relançamento, não é nada comercial lançado com apelo pro agora como muitos perfumes docinhos e bobinhos, Nu um perfume abstrato.

    ResponderExcluir
  12. Dino, sempre vi você na APP defendendo o Nu com unhas e dentes e isso me deixava curiosíssima, sabia? No mais, se o novo é tão lindo (e se tornou um dos meus perfumes preferidos), fico imaginando a magia do vintage.

    ResponderExcluir
  13. Disparou meu coração. Vou procurá-lo.
    Larissa

    ResponderExcluir
  14. Larissa, vai com fé. Esse é dos bons!

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bora comentar aqui embaixo? Se joga!
Com classe, por favor!