La Vie não é sempre bela

Calma, você não tá diante de um momento deprê. Bão, talvez esteja. Fui lá cafungar o La Vie Est Belle (Lancôme) e, ai, ai, gostei não. Como fazer a resenha dele então? Não sei. Vou tentar. Vejamos o que sai. E não me mate, ok? Só porque eu não curti o binito não quer dizer que ele é ruim. Repita comigo: não existe perfume ruim. Grata.

Meu nariz entende que La Vie Est Belle é apenas mais um floral frutal gourmand pra meninas crescidas. Parecido com tantos outros que existem por aí, na vibe da moda e tal.

E verdade seja dita: ele tem feito bastante sucesso. É, esse perfume pegou em cheio narizes ávidos por frutais docinhos avec elegance. 

Tenho cá muita complicância com frutas silvestres docinhas with patchouli. Juro que tentei curtir essa brisa, mas não rolou. Sendo La Vie Est Belle um exemplar da estirpe em questãn, vem daí meu desgostosamento com ele.

A Vida É Bela abre com groselha preta e pêra. Segue com íris, jasmim e flor de laranjeira. E termina com patchouli, fava tonka, baunilha e pralinê. E tem uma baita fixação, viu? Baita meeeesmo! Passei em minha pessoa por volta das 13h e ainda podia senti-lo às 22h, quando me joguei debaixo do chuveiro.

Cá entre nós, La Vie Est Belle conversa comigo de um jeito meio over, preenchendo todo o espaço sideral. Doce, doce e doce, porém adulto. 

Minha pele ressaltou di cum força a groselha azedinha matadora, o trio dulcíssimo tonka-baunilha-pralinê e o patchouli ardidinho chiquetoso. Senti também uma nota de violeta do além (já que a flor não aparece na composição), que me incomodou muito (não preciso ficar repetindo sempre que não gosto de violeta, néam?). 

Senti falta da pêra suculenta, da íris talquinho, do jasmim cremoso, da flor de laranjeira delicada e da promessa da Lancôme de me vender felicidade líquida. Pois é, nada disso bateu ponto em mim.

Enfim, La Vie Est Belle ficou praticamente linear na minha pele. Digo “praticamente” porque na saída ele me remeteu ao Flowerbomb (Viktor & Rolf) e, na seqüência, ao Miss Dior Chérie (Dior) antigo. A assinatura da Lancôme tá lá também, claro (é uma notinha que não consigo decifrar, mas que me aparece em todos os perfumes da casa e que, veja só, me incomoda - sou chata, me deixa! rá!). 

É, não será dessa vez que terei um Lancôme em casa, viu? 

Ok, ok, eu paro. Questãn de pele, meu povo. Questãn de pele. 

Comentários

  1. Van, eu adorei esse perfume! Sim, não é o melhor que já usei, mas achei muito feminino e a minha cara. Como só borrifei uma vez, quero usar de novo pra ter certeza, de preferência com uma amostrinha...
    Bjo,

    Luciana

    ResponderExcluir
  2. Sabe aquele menino da formiguinha? Tô igual a ele: #quedó #quedó que vc não gostou, mas o bom é que tem um trilhão de perfumes para a gente se jogar e experimentar, não é?
    bjs

    Dâmaris

    ResponderExcluir
  3. Não achei esse perfume ruim nem bom, muito pelo contrário. Experimentei mais de uma vez em dias diferentes e a sensação é sempre de que existem várias águas de colônia da Natura e da Avon com cheiro parecido. É uma fragrância para quem quer estar cheirando a algo sem que esse algo seja reconhecido; para quem quer se misturar à multidão; para quem quer usar perfume chique que tem cheiro de perfume popular. Ou seja: dispensável.

    ResponderExcluir
  4. Van, quebrei minha promessa de não comprar mais perfumes este ano e mandei buscar um Infusion D Iris pra mim...fiz boa coisa? o coffret de 100ml tava com bom preço na Època...

    ResponderExcluir
  5. Lu, ele é fácil de agradar quem curte o estilo mesmo.

    Village, apenas uma questão de estilo, diva. E não falta coisa no meu estilo por aí, né? Adoro!

    Helen, ele tem a vibe de diversos outros perfumes que estão no mercado mesmo. Daí o sucesso (ou o fracasso, no meu caso rs).

    Bruxinha, sou suspeita porque amo o EDP. De coração. É a coisa mais fofinha, sabe? Lindo ele. Fiquei sabendo dele na Época. Acho que você fez um baita negócio.

    ResponderExcluir
  6. Adoro suas resenhas, estou sempre por aqui mas acho que é a 1ª vez que comento..
    Também não gostei dele, achei doce por demais..quem dera se eu tivesse sentido semelhança com o Flowerbom, ou ao menos a violeta que eu gosto muito..só senti uma coisa enjoada, indefinida que me incomodou...

    ResponderExcluir
  7. Nathalia, puxa uma cadeira e vamos papear! rs

    Ele é bem docinho mesmo. Meeeesmo. rs

    ResponderExcluir
  8. Achei delicioso.

    Dito isto... lá vamos nós. Delicioso como centenas de lançamentos dos últimos 2 anos. Tem a mesma vibe até do novo Dolce & Gabbana. Sério, gente PAREM. Isso ta ficando pior q a febre dos cítricos+aquáticos, todos baseados ou no Ligh&blue ou no CKone, ou algo entre os dois.
    Fugindo do assunto, mas já voltando: Achei o novo D&G ótimo e ao mesmo tempo um insulto. Descontinuar um ícone pra lançar mais do mesmo como nova versão. Revoltante.

    Ao menos a Lancôme ñ lançou esse como a nova versão de um Poême ou de sabe-se lá com qual eles poderiam ter feito isso. (Falei q voltaria ao assunto eheh)

    Outro problema que encontro nele é que essa assinatura olfativa q vc diz sentir na sua pele com os Lancôme surge na minha como um incomodo inexistente. Explico: tem uma hora q o perfume SOME. Vc sente a nota chatinha? Eu ñ sinto NADA. o Miracle tbm faz isso comigo. Saída ótima, meio NADA, fim legal. De 2000 pra ca eles ñ fizeram nada que meu nariz reconhecesse em minha pele nas notas de coração.

    Terminando meu 'tratado', comentário ta ficando grande: Vc conhece o Apparition de Emanuel Ungaro? Tem framboesa, tem patchouli, tem baunilhaambarfavatonka, enfim, tudo que 'ta na moda', mas consegue ser infinitamente superior a maioria que ai está. Me fez concluir que mais que notas do momento é a maneira como as notas estão sendo usadas, em proporções que criam sempre o MESMO cheiro.

    ResponderExcluir
  9. daninha, não conheci o novo D&G, mas sei que assassinaram a fragrância original. Que mantivessem ela, né? Há espaço pras duas, creio eu. Mesmo não sendo meu estilo, reconheço que ela era um perfumão.

    Lancôme me é complicada mesmo. A assinatura deles berra na minha pele, e eu não gosto disso.

    E vai rolar resenha do Apparition em breve, bonita. E, sim, ele é igual e diferente (oi?). Esse é outra história (ainda bem).

    ResponderExcluir
  10. Oiiii !
    So pode ser telepatia..
    To amando o apparition p noites frescas...
    Aguardo sua resenha, bj Sissi

    ResponderExcluir
  11. Sissi, pena que aqui não tá nada fresco. Calor do cão e eu querendo usar essa belezinha.

    ResponderExcluir
  12. Lancôme sempre foi complicada qndo se trata de perfumes... acho que os únicos da marca que eu gosto são os da linha Ô e o hypnose senses (mesmo assim com reservas)
    Alto lá!
    As perfumarias brasileiras entraram com força total nos blogs da vida, distribuindo La vie est Belle sem dó ou piedade. O que aconteceu? Um BOOOOMMMM! Tá vendendo litros de perfume! Juro! Já to sentindo este perfume na faculdade, no shopping, no hospital, da janela da minha casa.. Uma loucura!
    Ele é daqueles perfumes que vc cheira e pensa: "já senti esse cheiro de algum lugar... ahh!! É o.. nào.. nào é... então é aquele lá o fulano..."
    É fogo! hahaha (já reparou minha xenofobia com perfume muito pop na balada, né?)
    Ai, que coisa feia a minha!
    A embalagem é linda. Reconheço.
    Mas.. hehe

    ResponderExcluir
  13. Valentina, o bicho vende feito água mesmo. Independente do meu gosto, não sei se isso é bom ou ruim. rs

    ResponderExcluir
  14. Hum, bom ler que há pessoas pensando como eu... achei mais do mesmo e MUITOOOOOOO DOCE! Nem o avançar das horas (sim, tem boa fixação!) ameniza essa doçura. Enfim, fiquei decepcionada e enjoada porque inventei de experimentá-lo diretamente no pulso. OMG, rs!

    ResponderExcluir
  15. Dana, olha o lado bom: ainda bem que você conseguiu provar antes de comprar, né? Imagina catar no escuro e se arrepender? Bate na madeira três vezes! rs

    ResponderExcluir
  16. Rindo até agora da "violeta do além"...seus textos são ótimos e hilários, Vanessa. Gosto muito deles. Dei um bocejo qdo cheirei LVEB...(obrigado Damaris do VB) ao perceber de novo aqueles acordes que meio se repetem em Escada Magnetism, Fantasy, Egeo dolce, Pink sugar.....será que as meninas devem atravessar esse ritual de passagem "do algodão doce-açúcar queimado-praline" para se tornarem adultas?

    ResponderExcluir
  17. Ubiratan, obrigada pelo carinho, viu? E, olha, pelo que eu noto somos poucos. Impressionante como quase todo mundo ama esse perfume. Vai ver quase todo mundo desconhece as coisas realmente boas, né? rs Melhor eu fica quietinha. hahahahaha Do Pink Sugar eu até gosto, mas uso gotículas dele, e só raramente (no frio extremo apenas).

    ResponderExcluir
  18. Comprei no escuro e me sinto assombrada rs
    Não gostei nem um pouquinho do La Vie Est Belle .

    ResponderExcluir
  19. Ruth, esse é ame ou odeie mesmo, né?

    ResponderExcluir

Postar um comentário

Bora comentar aqui embaixo? Se joga!
Com classe, por favor!

arquivo do blog