A baunilha fresca do Oscar

Preciso falar sobre o perfume Fresh Vanilla, da maison Oscar de La Renta. Ele é encantador, pouquíssimo comentado, custa pouco em comparação com outras fragrâncias (mesmo em terras tupiniquins) e, por isso mesmo, vale um post.

De cara, vamos às notas: bergamota, groselha negra, marshmallow, flor de laranjeira, rosa, bálsamo do Peru, almíscar e baunilha. Em suma, floral frutal gourmand. Simples, né? E belo! Muito belo! Cafunga só!

Eis o mote oficial: “Doçura, romance, sonhos… Uma mulher jovem e delicada que deseja uma brisa de outono com seu frescor delicado na pele.”

Ok, ele é docinho. Mas veja bem: docinho fresco, equilibrado, nada enjoativo. Fresh Vanilla, lembra? Culpa da laranja e da boa e velha mexerica (bergamota para os chiques). E, olha, eu tenho que admitir que costumo odiar laranja em perfumes. Odeio com força! E essa laranjinha do Oscar é a única da qual eu gosto. Gosto nada. Amo!

E a baunilha? Bom, de infantilóide ela não tem nada. Com o passar do tempo, ela parece se transformar em um caramelo florido suave e confortável (ou seria marshmallow florido?), mas sem perder o frescor. Fresh Vanilla, néam?

Só sei que o dito cujo é uma das minhas primeiras escolhas naqueles dias quentes em que necessito de algo docinho, delicado, suave, fresquinho e alegre. No trabalho é tudo de bom! Uso e fico feliz. E não incomodo ninguém. Simples assim. E a fixação na pele é super boa, povo. No mais, é um perfume de aura, saca? Não de rastro. E, pra mim, foge do lugar comum.

E o que é aquele frasco transparente amarelinho e laranja, minha gente? Coisa linda de meu deus!

Comentários

arquivo do blog

Mostrar mais